×

IPAM Amazônia | Confira a programação do IPAM na 25ª Conferência do Clima das Nações Unidas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Confira a programação do IPAM na 25ª Conferência do Clima das Nações Unidas

27.11.2019Notícias
daisy photographed from below

O IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) participa neste ano da 25ª Conferência do Clima da ONU, ou COP 25, com uma programação voltada a propostas de caminhos para que o Brasil siga uma economia de baixo carbono, com sustentabilidade e desenvolvimento econômico.

Um dos destaques é o apoio institucional ao Brazil Climate Action Hub, que contará com uma agenda ampla, onde governos subnacionais, sociedade civil, parlamentares e setor empresarial poderão promover discussões sobre soluções e desafios da ação climática no contexto brasileiro e latino-americano. Toda a programação pode ser conferida em https://www.brazilclimatehub.org/.

Confira os demais eventos com participação de representantes do IPAM:

4 de dezembro

Side event, Room 6, 11h30 – 13h

POVOS INDÍGENAS DA AMAZÔNIA: VULNERABILIDADES DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E ESTRATÉGIAS

Os povos indígenas são essenciais para a estabilidade da floresta amazônica e para o clima global. No entanto, aumentos recentes do desmatamento, incêndios e degradação ameaçam seus territórios e seus meios de subsistência. Este evento apresentará novas tecnologias que auxiliam na proteção florestal e nos direitos indígenas.

5 de dezembro

Brazil Climate Action Hub, Pavilhão 8, 13h30 – 14h30

POVOS TRADICIONAIS E FERRAMENTAS DIGITAIS

Plataformas e aplicativos fornecem informações para populações tradicionais administrarem seus territórios. Neste evento, alguns exemplos serão apresentados, como a plataforma Climate Source e o app Alerta Clima Indígena.

6 de dezembro

Brazil Climate Action Hub, Pavilhão 8, 14h30 – 15h30

A TEMPORADA DE FOGO NA AMAZÔNIA EM 2019: UMA HISTÓRIA DE DESMATAMENTO

As primeiras semanas de agosto deste ano registraram 32.728 focos de queimadas na Amazônia, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). O número foi 60% mais alto dos apontados nos três anos anteriores. Considerando esses fatos, o IPAM apresentará uma análise abrangente da temporada de fogo em 2019 e suas causas.

Brazil Climate Action Hub, Pavilhão 8, 15h30 – 16h30

ÁREAS PROTEGIDAS DA AMAZÔNIA & MITIGAÇÃO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

As áreas protegidas na região amazônica sequestram o carbono da atmosfera, diminuindo o efeito estufa e mitigando as mudanças climáticas. Contudo, essas áreas têm sido alvo constante de desmatamento. Diante disso, discutiremos estratégias para a consolidação e a proteção dessas áreas.

Brazil Climate Action Hub, Pavilhão 8, 16h30 – 17h30

TERRA DE NINGUÉM: ÁREAS NÃO-DESIGNADAS DA AMAZÔNIA & O EQUILÍBRIO CLIMÁTICO

Terras não-designadas na Amazônia correspondem a 27% do total desmatado entre agosto de 2018 e julho de 2019. Em um planeta cada vez mais quente, é fundamental que esses 65 milhões de hectares de áreas públicas federais e estaduais sejam conservados como florestas.

10 e 11 de dezembro

Novotel Madri Center, Calle de O’Donnell, 53, 8h30 – 18h40 (10) e 8h30 – 13h10 (11)

AMAZON-MADRID

Programação completa em https://sites.google.com/view/amazonmadrid

O objetivo do evento, conduzido pelo Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, é apresentar as perspectivas, as metas e os compromissos políticos dos governadores da Amazônia brasileira, e discutir com a comunidade internacional oportunidades de cooperação para o estímulo a uma economia de baixo carbono na região.

10 de dezembro

Brazil Climate Action Hub, Pavilhão 8, 9h – 10h

O BRASIL VAI CUMPRIR SUAS METAS NO CLIMA?

Este evento apresentará os dados mais recentes de duas iniciativas pioneiras da sociedade civil, o SEEG e o MapBiomas. Os dados mostram as emissões brasileiras de carbono em 2018 e as mudanças no uso da terra no Brasil entre 1985 e 2017. Os autores discutirão a trajetória de emissões do país, os desafios e as oportunidades no caminho da NDC.

12 de dezembro

Side event, Room 5, 16h45 – 18h15

O FUTURO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA: CENÁRIOS ATUAIS E MUDANÇAS POLÍTICAS NECESSÁRIAS EM UMA CRISE CLIMÁTICA

O desmatamento e os incêndios na Amazônia atraíram a atenção internacional em 2019. Discutiremos os impactos das recentes políticas brasileiras no cumprimento da NDC, mostrando que o país precisa de mudanças significativas em direção a uma verdadeira economia de baixo carbono, com conservação e desenvolvimento econômico.