×

IPAM Amazônia | Guia metodológico – programa ATER Mais Gestão

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Guia metodológico – programa ATER Mais Gestão

22.05.2020Documentos e relatórios Ailton Dias dos Santos, Andreia Bavaresco, Helio Pontes, José Fragoso Junior, Viviane Gonçalves, Cláudia de Souza, Moacir Chaves Borges, Patrícia Yukari Andrade Kato, F. Camargo, Vera Greiner-Mann, Tatiana Aparecida Balzon, Gunter Viteri, Ladjane Ramos Caporal.

Este Guia foi elaborado para a adequação de metodologia para “Novos Instrumentos de ATER para organizações econômicas da Agricultura Familiar” no âmbito do projeto “Mercados Verdes e Consumo Sustentável”.

O projeto é implementado junto à Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SEAD) e equipe do Programa ATER Mais Gestão da mesma secretaria junto com a cooperação alemã por meio da GIZ.

A redação do documento esteve a cargo de uma equipe de consultores mobilizada pelo Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e que trabalhou em coordenação com a equipe da SEAD responsável pelo Programa ATER Mais Gestão. Para coletar insumos para este guia, foram realizadas 4 oficinas com participação de mais de 100 técnicos de ATER pública e privada, pessoas que conhecem bem os desafios e as demandas tanto dos empreendimentos rurais como também dos agentes de ATER.

O propósito do documento é servir de orientação e apoiar a capacitação de técnicos das instituições de ATER diretamente implicados no fortalecimento das organizações e empreendimentos da agricultura familiar na região amazônica. O processo de elaboração envolveu uma análise documental de relatórios de avaliação do Programa ATER Mais Gestão, revisão dos instrumentos de diagnóstico e planejamento adotados nos primeiros anos do programa e sistematização de ferramentas metodológicas com potencial de uso no âmbito da ATER.

O Guia Metodológico oferece um caminho ou fio condutor para o trabalho de assessoria técnico-gerencial voltado para organizações cooperativas e associativas. A construção deste caminho envolve:

  • A definição dos princípios gerais e base conceitual da metodologia do programa Mais Gestão;
  • A revisão dos instrumentos de diagnóstico das áreas funcionais da gestão das organizações;
  • A definição de um método para a avaliação do nível de maturidade e estágio de desenvolvimento das organizações;
  • Orientações quanto ao processo de planejamento do ciclo de assessoria e desenvolvimento organizacional; e
  • A sistematização de uma “caixa de ferramentas” metodológicas que tem potencial de uso no trabalho do ATER Mais Gestão.

O caráter de “guia metodológico” antecipa a sua natureza flexível e sujeita a aperfeiçoamentos na medida em que os instrumentos são aplicados e testados nas condições reais das organizações e dos ciclos de assessoria. Neste sentido, o documento é assumido como um ponto de partida ao oferecer uma base conceitual e operacional para o trabalho dos assessores técnicos e dirigentes das organizações.

Download