Cracking Brazil's Forest Code

25 de abril de 2014

abr 25, 2014

Britaldo Soares-Filho, Raoni Rajão, Marcia Macedo, Arnaldo Carneiro, William Costa, Michael Coe, Hermann Rodrigues, Ane Alencar

Roughly 53% of Brazil’s native vegetation occurs on private properties. Native forests and savannahs on these lands store 105 ± 21 GtCO2e (billion tons of CO2 equivalents) and play a vital role in maintaining a broad range of ecosystem services (1). Sound management of these private landscapes is critical if global efforts to mitigate climate change are to succeed.

Recent approval of controversial revisions to Brazil’s Forest Code (FC)—the central piece of legislation regulating land use and management on private properties—may therefore have global consequences. Here, we quantify changes resulting from the FC revisions in terms of environmental obligations and rights granted to land-owners. We then discuss conservation opportunities arising from new policy mechanisms in the FC and challenges for its implementation.

Full article.

Baixar (sujeito à disponibilidade)

Download (subject to availability)

Veja também

See also

Manejo florestal comunitário na Amazônia: uma nova visão sobre a relação entre comunidade e empresa

Manejo florestal comunitário na Amazônia: uma nova visão sobre a relação entre comunidade e empresa

Os assuntos tratados nesta cartilha incluem desde o processo de decisão sobre como engajar-se ou não no manejo florestal comunitário, até a finalização das propostas de contratos com empresas madeireiras, de modo que tais contratos garantam não só benefícios coletivos aos comunitários, mas também a sustentabilidade ambiental.