×

IPAM Amazônia | Área queimada no Pantanal Mato-grossense dobra de tamanho em um dia

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Área queimada no Pantanal Mato-grossense dobra de tamanho em um dia

10.08.2021Notícias
daisy photographed from below
Bombeiro combate incêndio no Pantanal em 2021 Foto: Bibiana Garrido/IPAM/Woodwell Climate

O incêndio que começou neste fim-de-semana na região de Poconé (MT) dobrou de tamanho nesta segunda-feira (9). De acordo com pesquisadoras do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) e da instituição americana Woodwell Climate Research Center, com cálculo aproximado de área queimada, o incêndio passou de quase mil hectares nos primeiros dois dias para 2,3 mil hectares de vegetação nativa e pastos naturais atingidos. É o primeiro incêndio de grande proporção no Pantanal Mato-grossense na temporada.

Desde sábado (7), brigadas privadas e equipes do Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso atuam no combate e no monitoramento da ocorrência. Na madrugada de segunda para terça-feira, utilizaram técnicas de aceiro e de contrafogo para controle do incêndio e seguem monitorando a situação.

Na estrada

Pesquisadoras do IPAM e do Woodwell participam de uma expedição de campo para melhorar o uso de dados em combate a queimadas e incêndios e estiveram no local.

“A temperatura alta e o vento durante o dia dão força para o fogo e a situação fica difícil de ser controlada”, diz a pesquisadora do Woodwell Climate Research Center e coordenadora do projeto, Manoela Machado.

A viagem coincide com o lançamento do novo relatório do Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas das Nações Unidas (IPCC), que mostra dados preocupantes sobre extremos climáticos para a América do Sul.

“O incêndio libera gases de efeito estufa na atmosfera, piorando ainda mais o clima e a qualidade do ar”, explica a pesquisadora no IPAM e do Woodwell Climate, Ludmila Rattis, presente na expedição. “Isso traz consequências que impactam a nossa saúde e o clima”.

A expedição teve início na sexta-feira (6) e tem como objetivo criar soluções para o controle mais eficiente de incêndios e queimadas, que se agravam no período da seca. É uma parceria entre IPAM, Woodwell Climate e o Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso e passa por três biomas: Cerrado, Pantanal e Amazônia. Um diário da viagem é compartilhado no Instagram do IPAM.


Este projeto está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Saiba mais em https://brasil.un.org/pt-br/sdgs.