×

IPAM Amazônia | O Dia Internacional das Florestas e um futuro de mudanças climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

O Dia Internacional das Florestas e um futuro de mudanças climáticas

21.03.2016Artigos
daisy photographed from below

Ban Ki-moon*

O Dia Internacional das Florestas é dedicado a destacar todos os tipos de florestas e árvores fora das florestas. Cerca de 1,6 bilhão de pessoas – incluindo mais de 2 mil povos indígenas – dependem das florestas para ter alimento, energia, proteção e renda. Três quartos da água doce do mundo provêm de bacias hidrográficas florestadas. As florestas previnem deslizamentos de terra e erosão e – no caso dos mangues – elas reduzem a morte e os danos causados por tsunamis.

Por esses motivos e muitos outros, as florestas são parte essencial da agenda de desenvolvimento pós-2015. Entre suas funções mais importantes está seu papel na construção de sociedades resilientes. É por isso que, neste ano de ação pelo desenvolvimento sustentável, as mudanças climáticas são o tema do Dia Internacional das Florestas.

Manter florestas saudáveis e agir na mitigação e na adaptação às mudanças climáticas são dois lados de uma mesma moeda. As florestas são o maior banco de carbono do planeta após os oceanos. O carbono que armazenam em sua biomassa, no solo e em seus produtos é equivalente a 10% das emissões projetadas para a primeira metade deste século.
Ao mesmo tempo, o desmatamento e as mudanças de uso da terra respondem por 17% de toda a emissão de dióxido de carbono gerada por atividades humanas.

As florestas estão na linha de frente das mudanças climáticas. Esses ecossistemas, ricos em biodiversidade, são cada vez mais vulneráveis às mudanças de padrão de clima, temperatura e chuva. Por isso é essencial que trabalhemos para preservar nossas florestas e manejá-las de forma sustentável.

Apesar dos valores ecológico, econômico e social das florestas, o desmatamento continua em todo o mundo em um ritmo alarmante – cerca de 13 milhões de hectares são destruídos anualmente. Isso não é sustentável para as pessoas nem para o planeta. Contudo, há alguns sinais encorajadores. Na última década, a taxa global caiu quase 20%, o que indica que existem soluções para reverter tal tendência destrutiva.

Para construir um futuro sustentável e resiliente às mudanças climáticas para todos, devemos investir nas florestas de nosso planeta. Isso significa assumir um comprometimento político nos níveis mais elevados, adotar políticas inteligentes e ações de controle eficientes, e criar parcerias e formas de financiamento inovadoras. Neste Dia Internacional das Florestas, vamos nos comprometer em reduzir o desmatamento, manter as florestas saudáveis e criar um futuro resiliente para todos nós.

* Ban Ki-moon é secretário geral da Organização das Nações Unidas.

Confira o artigo original, em inglês.