×

IPAM Amazônia | Nota de pesar: parte o poeta Thiago de Mello, um apaixonado pela Amazônia

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Nota de pesar: parte o poeta Thiago de Mello, um apaixonado pela Amazônia

14.01.2022Opinião
daisy photographed from below

É com imensa tristeza que o IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) recebe a notícia sobre a partida do poeta amazonense Thiago de Mello neste 14 de janeiro, aos 95 anos de idade. Um artista que fez de seus poemas e discursos uma exaltação às belezas da humanidade e da biodiversidade, traduzindo ao mundo a voz e a imensidão da floresta. 

“Mello cantou e versou a Amazônia e o encanto da vida como poucos. ‘Faz escuro mas eu canto/ porque amanhã vai chegar’ nunca foi tão atual. O poeta se vai, mas seu talento deixa uma herança preciosa à história da poesia brasileira”, diz o diretor executivo do IPAM, André Guimarães. 

Grande defensor da natureza, seus escritos abraçam a liberdade e o respeito à vida e à simplicidade. Em 2005, durante a Feira Internacional do Livro de Havana, Mello afirmou que para fazer algo pela humanidade “é preciso, em primeiro lugar, que cada um de nós tente persuadir pelo menos um companheiro, que cada um de nós faça qualquer coisa por este planeta Terra tão degradado”.

Sua principal obra, “Os Estatutos do Homem”, publicada logo após o início do regime militar de 1964, se tornou hino de uma geração no qual Mello declara sua oposição às atrocidades da época, utilizando, como era de seu costume, palavras que ressaltam o coletivo e a colaboração. “Fica decretado que agora vale a verdade./ agora vale a vida,/ e de mãos dadas,/ marcharemos todos pela vida verdadeira”, escreveu no Artigo 1º de seu histórico poema. 

Enviamos nossos profundos sentimentos de solidariedade aos familiares e aos amigos pela perda.