×

IPAM Amazônia | Pesquisadores analisam a conexão entre produção de alimentos, energia e água

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Pesquisadores analisam a conexão entre produção de alimentos, energia e água

19.04.2018Notícias
daisy photographed from below

Os esforços para o aumento na produção de alimentos têm focado na intensificação e adoções de novas técnicas de manejo para mitigar os efeitos dos extremos climáticos. Estas medidas, no entanto, podem aumentar as demandas de uso da água e de energia, o grau de ameaça da biodiversidade, e a vulnerabilidade dos pequenos agricultores e comunidades tradicionais que sofrem com as rápidas mudanças na paisagem. Analisar os impactos, riscos e oportunidades dessas interações são os objetivos de um projeto desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM), Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (LAPIG/UFG), Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) e Woods Hole Research Center (WHRC) com o apoio do Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O projeto “Considerando o nexo entre segurança hídrica, energética e alimentar e as comunidades tradicionais: uma abordagem integrada para o Cerrado” começou em janeiro de 2018 e vai até 2020. Para desenvolver os estudos os pesquisadores utilizarão dados de sensoriamento remoto, cenários de desenvolvimento de políticas e infraestrutura.

“O projeto aborda questões cruciais não somente para o Cerrado, mas também para os desafios globais de sustentabilidade ao tratar das interações entre as seguranças hídrica, alimentar e energética”, diz Mercedes Bustamante, coordenadora do projeto e professora da UnB.  “Há ainda ações que visam a estabelecer quais as áreas prioritárias para restauração contribuindo para conservação da biodiversidade”, afirma.

“As informações geradas neste projeto, se colocadas em prática por tomadores de decisão, poderão gerar ações que promovam o desenvolvimento sustentável das regiões de fronteira agrícola do Cerrado, contribuindo para o aumento da produção agrícola e o bem estar das populações”, afirma o pesquisador do IPAM Divino Silvério.

Para saber mais sobre o projeto, acesse: http://bit.ly/nexusunb