×

IPAM Amazônia | Estudo calcula equação para o estoque de carbono das árvores do Cerrado

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Estudo calcula equação para o estoque de carbono das árvores do Cerrado

03.08.2018Notícias
daisy photographed from below

Uma rede de pesquisadores publicou essa semana um artigo científico na revista Plos One em que apresenta uma nova equação que permite cálculos mais assertivos sobre o estoque de biomassa das árvores do Cerrado. Essa equação contribui diretamente para entender melhor a dinâmica do carbono da vegetação no bioma. 

“Entre os fatores que contribuem para a incerteza associada às estimativas de carbono na vegetação e, por consequência, das emissões de gases de efeito estufa, estão a representatividade da amostragem e o modelo utilizado para as estimativas. Este estudo melhora substancialmente esses dois aspectos permitindo que o Brasil avance no entendimento do papel do Cerrado nas emissões nacionais e discute a relevância de sua conservação para a mitigação das mudanças climáticas”, afirma a coautora do artigo e professora da Universidade de Brasília (UnB), Mercedes Bustamante.

Para a pesquisadora do IPAM e coautora do artigo, Julia Shimbo, o estudo se destaca pela importância da colaboração científica voltada para o avanço do conhecimento. “O Cerrado é um bioma extenso e com variação. É importante ter uma equação regionalizada com dados específicos desse tipo de vegetação. Para conseguir isso é necessária uma rede ampla de pesquisadores. Este estudo reuniu instituições acadêmicas e não governamentais, como o IPAM, essa parceria é fundamental para evoluirmos na ciência. Além disso, o trabalho de campo é essencial. As coletas de cada parcela contribuíram para uma melhor representatividade do carbono no Cerrado.”

A equação foi elaborada a partir de dados, análises e estatísticas mais robustas servindo agora como referência para cientistas e estudantes. O estudo reuniu dados de campo de mais de 70 locais envolvendo diversos pesquisadores que trabalham com o Cerrado.

Para desenvolver a equação é preciso retirar árvores, secar, pesar e ver quanto de biomassa elas possuem. A partir disso, gera-se uma equação que faz uma relação entre a biomassa e as medidas das árvores, como altura e diâmetro.

“Nosso próximo passo agora para avançar nos estudos de carbono no Cerrado é elaborar um mapa de biomassa regionalizado, o que vai permitir ter melhores estimativas de emissões de gases de efeito estufa relacionadas à mudança de uso da terra”, diz Shimbo.

Para a pesquisadora e coautora do artigo Iris Roitman, o estudo representa o maior esforço, até hoje realizado, para organizar e analisar dados de levantamentos de campo em Cerrado típico. Além disso, é uma homenagem a dois pesquisadores do tema. “O artigo é um tributo aos professores George Eiten e Jeanine Felfili, ambos da Universidade de Brasília, cujos dados também foram utilizados nesse artigo. É uma honra para todos os autores poder seguir os passos desses dois grandes pesquisadores do Cerrado brasileiro e ver como suas contribuições, tanto na formação de recursos humanos, vários co-autores foram seus alunos, como na produção de conhecimento, ainda geram frutos importantes para a ciência e a conservação ambiental.”