×

IPAM Amazônia | Sobre o anúncio de fusão entre Ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Sobre o anúncio de fusão entre Ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura

01.11.2018Notícias
daisy photographed from below

O IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) repudia o anúncio feito ontem pela equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro de fusão entre os Ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura.

Como instituto científico, com 23 anos de atuação e que vem buscando conciliar o aumento da produção no campo com a conservação dos recursos naturais, consideramos que tal fusão de ministérios ameaça justamente o desejável equilíbrio entre agricultura e proteção ambiental.

Separados e independentes, ambos os ministérios poderão continuar com suas agendas específicas e estabelecer entre si e a sociedade um diálogo mais democrático, prudente e produtivo – algo fundamental, considerando-se a crise climática global e a dependência, cada vez mais clara, da produção agricultura  de um ambiente saudável.

Essa dependência pode ser ilustrada por meio de nossas pesquisas recentes na Amazônia. Com o avanço do desmatamento há um sério risco de mudança no clima regional, o que afeta a produção agrícola na região. Na bacia do Rio Xingu, por exemplo, já há registros de aumentos significativos de temperatura e consequente redução de chuvas com prejuízos à produção.

Além disto, um país como Brasil, que abriga em seu território a maior floresta tropical do mundo e uma das maiores taxas de biodiversidade, não pode abrir mão de um ministério exclusivo para cuidar deste enorme e precioso patrimônio dos brasileiros. Qualquer governo, preocupado com as próximas gerações e com a posição do Brasil como maior produtor de alimentos do mundo, deverá reforçar seu Ministério do Meio Ambiente e não o empurrar para dentro de uma outra estrutura.

Esperamos que a equipe de transição do governo eleito reveja essa posição e mantenha a independência do Ministério do Meio Ambiente. O Brasil e os brasileiros merecem prosperidade econômica e justiça social, atributos que só serão alcançados com proteção e uso sustentável de seus recursos naturais.