×

IPAM Amazônia | Pesquisa investiga o papel de insetos aquáticos no ecossistema

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas
IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Protocolo quioto, o que é protocolo de quioto, porque lugares como florestas tem mais chuvas?, credito de carbono, redd, mudanças climáticas globais, o que é efeito estufa, protocolo de kyoto

Protocolo de Quioto, Ipam, Efeito Estufa, Mercado de Carbono, Recuperação de áreas degradadas, Mudanças Climáticas, Crédito de Carbono, Mudanças Globais climáticas

IPAM Amazônia | Desenvolvimento sustentável da Amazônia pelo crescimento econômico, justiça social e proteção da integridade de seus ecossistemas.

Pesquisa investiga o papel de insetos aquáticos no ecossistema

07.08.2017Notícias
daisy photographed from below

A qualidade da água e a biodiversidade de insetos aquáticos é fundamental para o ecossistema. Por isso, pesquisadores integram ciência básica e aplicada em coletas que observam esses dois fatores em córregos que têm diferentes situações de preservação na Fazenda Tanguro.

As primeiras coletas aconteceram durante a estação chuvosa em fevereiro deste ano e foram realizadas em seis riachos da fazenda, sendo três em área de preservação permanente (APPs) intactas e três em APPs com influência de soja. O objetivo é comparar a diversidade das APPs e descobrir quais espécies estão diminuindo.

“As coletas seguem um protocolo já utilizado por outras universidades. Assim, podemos comparar nossas amostras com outras regiões da Amazônia”, afirma Nubia Marques, pós-doutoranda do Programa Ecológico de Longa Duração (PELD) e coordenadora da pesquisa.

Os grupos de insetos aquáticos estudados são sensíveis às alterações, apontando como está o ecossistema. A falta de determinadas espécies nos córregos indica que o ambiente não está saudável, o que confirma a importância da  APP intacta para manter a biodiversidade.

“A presença desses insetos é importante, pois eles quebram a matéria orgânica. Sem algumas espécies, aconteceria um desequilíbrio enorme na cadeia”, explica Marques.

Os resultados preliminares indicam que as APPs preservadas têm insetos em maior abundância. Foram coletados 181 indivíduos, 154 na APP preservada e 27 na APP com influência da soja. Em agosto, durante a estação seca, acontecerá mais uma coleta de insetos aquáticos, juntamente com as coletas de peixes e a caracterização do ambiente, em que serão utilizadas algumas variáveis para indicar o estado das matas ciliares e assim fazer uma análise mais completa do ecossistema.

As coletas foram realizadas no perímetro de 100 metros em cada córrego: a cada cinco metros, um pesquisador coletava na parte superior do córrego e o outro, na parte inferior. Depois foi feita a triagem identificando quais insetos aquáticos selecionados eram da classe de bioindicadores EPT (Ephemeroptera, Plecoptera e Trichoptera). Após essa separação, as amostras foram levadas para análise na Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).